Microsoft

Office politics: Microsoft comes back to reality

2014-03-26_22-57-17.0_standard_800.0Satya Nadella, Microsoft’s CEO (Photo @ The Verge)

On his 52nd day as Microsoft’s chief executive officer, Satya Nadella took the stage to present the world as Microsoft sees it. Life today, Nadella said, is “mobile-first and cloud-first.” As Nadella tells it, Microsoft is uniquely positioned to thrive in that world — because it alone understands the needs of people, their employers, and the developers who build devices for both. “That’s where we’re headed together,” he wrote in a blog post after the event. “Into a world where the devices you love work with the services you love in a way that IT and developers love.”

A WORLD WHERE MICROSOFT CAN LEAD AGAIN

Left unsaid is that the world Nadella describes is also one in which Microsoft, after years of chasing the tectonic shift to mobile devices, can lead again — by helping other businesses navigate the shift to mobile devices that threatened to derail Microsoft itself. Former CEO Steve Ballmer saw Windows as the center of the world, and the story of Microsoft was the operating system’s unstoppable march around the globe. At a small news event in San Francisco today, Nadella formally acknowledged a changed world: one where our computing is more likely to be done on a device made by a competitor than one branded with the Microsoft logo. “There is no trade-off; it’s reality for us,” Nadella said as he pledged to bring Microsoft services to customers whatever platform they use. “What motivates us is the realities of our customers.”

Microsoft’s reality check has so far been a hit with investors and consumers, who lit up Twitter in response to the event’s marquee news: the belated arrival of Office for iPad, which brings the company’s iconic productivity suite to tens of millions of Apple users. But the demonstration quickly moved on to products of interest mostly to enterprises and information-technology professionals: Enterprise Mobility Suite, a kind of Facebook Connect for businesses that manages employees’ devices and data access; and (gulp) Microsoft Azure Active Directory Premium, which lets businesses create online portals for employees to download apps for work.

And after four years of other developers building productivity tools for tablets, even Office for iPad feels more like an enterprise offering than a consumer one. At $99 a year for access to Office 365, which grants you access to Office applications on any platform you like, the software is positioned as an industrial-grade tool that you’d be unlikely to purchase without a vital business need.

2014-03-26_22-44-03

Julia White

But in a nod to those “realities” Nadella spoke of, you can use Office to read and present your documents for free. “We want to make sure that everyone can have a taste of what Office is great for, and why people love it,” said Julia White, Office’s general manager, in an interview with The Verge. “But we also wanted to add value for our Office 365 subscribers. We felt like that was the right balance.” It’s a move that’s both more practical and more aspirational than we have seen from Microsoft in some time: a vision of a world where Microsoft thrives even when Windows is not at the center of it, and even if its own phones and tablets remain also-rans compared to devices running Android and iOS.

Microsoft under Nadella appears poised to remain a highly visible consumer brand, driven by customer loyalty to products like Office, Xbox, and Skype. (Next week, at the Build conference, we’ll hear more about the future of Windows — and perhaps more about where Nadella’s strategy leaves Windows 8 and Windows Phone, which can no longer rely on exclusive Office access to lure customers.) Notably, in his first major address as Microsoft’s CEO, Nadella scarcely mentioned any of those things. Instead he focused on Office and enterprise tools, a sign that this company will increasingly make its profits from selling tools to other businesses. There may not be a lot of excitement around “enterprise mobility,” but there are significant profits to be made there — and Microsoft, with the products it announced today, is primed to reap them.

Nadella appeared calm and smiling throughout the event, and in a further show of confidence, hung out for a few minutes afterward to take questions from journalists. (Most of them wanted to know why Office for iPad had taken so long.) When a reporter asked how all these changes would affect Microsoft’s bottom line, Nadella said he “would leave it to Wall Street to do the analysis.” But make no mistake — Nadella has already made his analysis. More than its peers, the company’s future lies in the intersection of work and play. And if it’s still not totally clear how Nadella will get Microsoft there, he may have at least identified a winning direction.

 

Source: The Verge

Microsoft OneDrive estreia com edição de documentos em tempo real

microsoft-onedriveImagem: Divulgação

Devido a problemas jurídicos, no final de janeiro a Microsoft anunciou que iria renomear seu serviço de armazenamento em nuvem SkyDrive para OneDrive. Dia 19 de fevereiro, a empresa oficializou mundialmente esta mudança e apresentou novidades para a plataforma.

Atualmente com 250 milhões de usuários, o OneDrive passará a oferecer recursos similares a outros serviços concorrentes como o DropBox e Google Drive, criando uma solução mais integrada e multiplataforma.

“Essas novidades representam a nova visão da Microsoft sobre dispositivos e serviços integrados. Nós queremos que as pessoas tenham acesso a tudo em qualquer lugar”, disse Fernanda Di Giaimo, gerente de produto da Microsoft Brasil.

Entre as principais novidades está o backup automático de fotos e vídeos de dispositivos Android, edição de documentos em tempo real, suporte a “todos os tipos de arquivos de vídeo” com adaptação da reprodução com base na velocidade da conexão web e mais espaço gratuito para armazenamento na nuvem — acrescentados aos 7GB para novos usuários ou sobre os 25GB para quem criou uma conta poucos meses depois do lançamento do então chamado SkyDrive.

Android – A partir de hoje usuários que baixarem o aplicativo do OneDrive (ou realizarem a atualização do mesmo) em seu dispositivo Android poderão optar pela sincronização automática de fotos e vídeos para o serviço na nuvem da Microsoft.

Quem habilitar o backup automático desses arquivos pelo OneDrive ganhará mais 3GB de espaço gratuito. O mesmo recurso já existe para usuários do sistema iOS desde novembro do ano passado.

Office – A Microsoft também anunciou uma integração com o pacote Office para salvar documentos diretamente na nuvem. A empresa irá liberar a edição em tempo real, similar ao que existe no Google Docs.

Desta forma, será possível salvar um documento na nuvem, gerar um link do mesmo e compartilhar o conteúdo com outras pessoas. Não será necessário ter um pacote Office instalado ou uma conta da Microsoft para abrir e editar um arquivo. O serviço também irá armazenar um histórico com todas as versões do mesmo documento.

Console – O Xbox One também receberá recursos do OneDrive. Um exemplo é a possibilidade de gravar uma gameplay do videogame e compartilhar o conteúdo com algum amigo por meio do serviço na nuvem.

Armazenamento – O padrão de espaço gratuito para quem criar uma nova conta no OneDrive é de 7GB (com opção de ampliação de mais 3GB ao ativar o backup automático no dispositivo Android). Mas será possível aumentar esse valor em até 5GB ao realizar convites para amigos — cada um que aceitar te dará 500MB extra de espaço.

Quem comprar um pacote Office 365 Home Premium (R$ 209 a licença anual) também receberá 20GB extra de espaço por usuário (são 5 contas no total). Além disso, há opção de comprar mais armazenamento com pacotes de 50GB, 100GB, 200GB e 500GB.

 

Fonte: Info Exame

Filme de 1999 retrata início da carreira de Bill Gates e Steve Jobs

Piratas-de-Silicon-ValleyImagem: Divulgação

Piratas da Informática: Piratas do Vale do Silício” (Pirates of Silicon Valley) — filme de 1999 feito para a TV americana — conta a história de uma revolução que ninguém esperava. Em uma trama que mistura esforço, imaginação e intriga, o filme apresenta o início da trajetória de Steve Jobs e Bill Gates.

Aos 56 anos, em 5 outubro de 2011, Steve Jobs morreu devido a um câncer no pâncreas. Nascido na Califórnia, Jobs foi cofundador da Apple e comandou a empresa por anos.

No fim da década de 1970, desenvolveu os seus primeiros computadores pessoais. Em meados dos anos 1980, saiu da Apple para fundar a NeXT, voltando apenas na década de 1990.

Nascido em Seattle, no dia 28 de outubro de 1955, Bill Gates não traz com seu nome apenas uma das maiores fortunas do mundo, ao lado de Steve Jobs, o presidente da Microsoft contribuiu para o desenvolvimento da tecnologia, principalmente em softwares para PCs (computadores pessoais).

Visto por alguns como um “cybercapitalista” responsável por programas defeituosos, para outros, o autor de “A Estrada do Futuro” é o símbolo da “vitória nerd”, um garoto de óculos com caspa e acne que é reconhecido mundialmente como um visionário.

Confira o Trailer

 


gallery_2416_2_73929

Piratas da Informática

Elenco: Anthony Michael Hall, Noah Wyle
Diretor: Martyn Burke
Estúdio: Warner Home Video
Duração: 96 minutos


 

Fonte: Livraria da Folha

The Next Chapter: An open letter from Steve Ballmer and Stephen Elop

Stephen Elop and Steve BallmerStephen Elop and Steve Ballmer

Nokia and Microsoft have always dreamed big – we dreamed of putting a computer on every desk, and a mobile phone in every pocket, and we’ve come a long way toward realizing those dreams.
Today marks a moment of reinvention.

Nokia has an identity spanning 150 years of heritage, innovation, excellence, and change which began and will continue in Finland, as well as around the world. From humble beginnings as a paper mill, to manufacturing rubber boots and car tires, and then to mobile phones, reinvention is in Nokia’s blood.

Now Nokia will write its next chapter, focused on enabling mobility through its leadership in networking, mapping & location, and advanced technologies.

For Microsoft as well, today is a bold step into the future, a huge leap forward on our journey of creating a family of devices and services that delight people and empower businesses of all sizes.

Our partnership over the past two and a half years, which combined our respective strengths to build a new global mobile ecosystem, has created incredible results: award-winning phones and amazing services that have made Nokia Windows Phones the fastest-growing smartphones in the world.

Building on this successful partnership, we announced some important news today: an agreement for Microsoft to purchase Nokia’s Devices & Services business, to deliver more choices, faster innovation, and even more exciting devices and services to our customers.

Today’s agreement will accelerate the momentum of Nokia’s devices and services, bringing the world’s most innovative smartphones to more people, while continuing to connect the next billion people with Nokia’s mobile phone portfolio.

With the commitment and resources of Microsoft to take Nokia’s devices and services forward, we can now realize the full potential of the Windows ecosystem, providing the most compelling experiences for people at home, at work and everywhere in between.

We will continue to build the mobile phones you’ve come to love, while investing in the future – new phones and services that combine the best of Microsoft and the best of Nokia.

Nokia and Microsoft are committed to the next chapter.

Together, we will redefine the boundaries of mobility.

Steve & Stephen

banner_465

 

 Source: Conversations by Nokia

Skype comemora 10 anos com números enormes, e oferece acesso gratuito a hotspots Wi-Fi

119000_g

Parece que foi ontem! Em agosto de 2003, Niklas Zennström e Janus Friis – até então conhecidos como os criadores do Kazaa – lançaram o Skype, um programa que fazia ligações VoIP. Ali começava uma história grande e bilionária.
Desde então, o Skype cresceu, chegou a todo quanto é tipo de gadget, aumentou a oferta de serviços e, em 2011, foi comprado pela Microsoft por US$ 8,5 bilhões.

O processo de integração do serviço às propriedades da Microsoft tem sido paulatino – inclusive migrando os usuários do MSN Messenger – mas agora, até o Xbox 360+Kinect conta com o recurso.

No post em que celebra o aniversário de 10 anos do Skype, a executiva de marketing Elisa Steele lançou alguns números impressionantes. O maior deles? Nesse período o Skype foi usado em mais de 1,4 trilhões de minutos para chamadas de voz e vídeo. Colocando em perspectiva, é o equivalente a 2,6 milhões de anos em apenas dez. Abaixo segue um infográfico bacana com mais números e outras informações dessa década de Skype.

E surpresa: você ganhou um bônus de 30 minutos (!) de acesso gratuito via Skype WiFi. O serviço está disponível em quase dois milhões de hotspots públicos do mundo inteiro, incluindo aeroportos, hotéis e cafés.

Para conseguir esses créditos, basta fazer login no Skype até dia 1º de setembro. Você poderá usá-los durante os próximos 30 dias. E para acessar, é simples: abra o Skype no seu computador (ou baixe o app Skype WiFi no iOS ou Android), conecte-se ao hotspot Wi-Fi, e pronto.

OK, o presente é fraquinho, mas… parabéns, Skype! Não é fácil durar uma década.

skype-10-years-v-5k

 

 Fonte: Gizmodo Brasil

Windows 8 cresce e alcança 3,31% de market share em março

O Windows 8, da Microsoft, alcançou 3,31% de participação no mercado de sistemas operacionais em março, segundo medição da Net Applications. Embora baixo, o percentual mostra que a nova versão do sistema vem ganhando espaço, num ritmo estável. O aumento foi de 0,52 ponto percentual na comparação com o mês anterior.

original

Sistema Microsoft Windows 8™ │ Imagem: Site hypescience.com

Apesar da chuva de críticas que recebeu inicialmente por causa dos recursos, aos poucos o Windows 8 parece que começa a cair no gosto do mercado e do usuário de PCs e a substituir o Windows 7, que nos três meses teve uma perda de 0,63 ponto percentual de participação de mercado, fechando março com 44,73%. Em janeiro, o Windows 7 registrou seu primeiro mês de queda de market share, logo após ultrapassar a marca de 45% pela primeira vez.

A versão do Windows XP acumula 37,73% de participação, enquanto o Windows Vista possui 4,99% de market share. Assim, somadas todas as versões, o Windows permanece hegemônico entre os sistemas operacionais para computadores, com 91,89% contabilizados em março — 0,27 ponto a mais em relação ao mês anterior.

O sistema operacional do Mac OS, da Apple, alcançou 6,94% de participação, queda de 0,23 ponto percentual na comparação mensal. O Linux, que terminou março com 1,17% de participação, também registrou recuo, de 0,04 ponto percentual.

 

Fonte: TI Inside