festival

Psicodália dos Gigantes!

13003522084_eb199ea0b4_oTom Zé (Foto: Eder Capobianco)

O que significa Tom Zé, Moraes Moreira, Traditional Jazz Band, Gong, Almir Sater, Made In Brazil e Yamandu Costa no mesmo festival? Significa que ele cresceu. Que ele cresce. Em ritmo acelerado. Na mesma levada do Confraria da Costa, Cadillac Dinossauros e Trombone de Frutas. Prontos para decolar. Juntos. Levando a galera do Baião de 2 e o palhaço bêbado da perna-de-pau. De brinde para todos veio o sol. Raiando forte até terça-feira, quando São Pedro mandou a chuva para refrescar o fim da festa. Mas não foi tudo isso que fez da Fazenda Evaristo, em Rio Negrinho-SC, o melhor lugar para se estar entre os dias 28 de fevereiro e 5 de março. Foram as cerca de quatro mil pessoas num astral psicodélico, curtindo como se não houvesse amanhã, que fizeram tudo valer a pena.

As mudanças estavam lá. Lado a lado com as novidades. Dividindo espaço com o Rock’n Roll. Não só no cast de grandes nomes da música brasileira. Também na ocupação de um espaço novo com o Palco do Sol, com mais sombras e a mesma energia. Muito bem aproveitada pelo Módulo 1000, que fez a galera voar. Difundida aos quatro ventos pelo Nego Blue & Trio Bambu. Depois se transformou em ciranda com o Pife na Manga. Trazendo o Fukai, lá de Natal. Por fim se psicodelizou com o Sopro Cósmico, que mostrou a todos a existência da quarta dimensão. Mas o ápice de tudo veio do Palco Psicodália. Era só a passagem de som do Morais Moreira, mas quando ele tocou Mistério do Planeta a Fazenda Evaristo parecia ser o paraíso e o instante virou eterno. Eufórico como o Wander Wildner. Muito louco como o Tom Zé. Pirado no ritmo da Traditional Jazz Band. Sem dúvida o palco estava abençoado por Dionisio, que viajou com o Pedra Branca. Explodiu com o Cadillac Dinossauros. Depois se tornou imortal com o Di Mello. Tudo maestralmente apresentado pelo ser humano fabuloso maluco das frutas Conde Baltazar.

Tinha também o Palco do Guerreiros, com grandes surpresas, como o Capitão Rodrigo. A oportunidade do Palco Livre, por onde passou o Gabriel Romano Gonzalez e Grupo. Mas os palcos pareciam ser poucos. Foi para o Davi Henn e o Despacho, que não precisaram de mais que grama e uma sombra para fazer um show. Podia ser improvisado, como na Combi do som que fervia sempre que o sol estava nascendo. Também tinha quem não precisava de palco, só de uns amplis e uma bateria no camping Mutantes. Isso era muito para quem só tinha um violão, a voz rouca e uma árvore para encostar.

13003762474_ce38502091_oNo palco, a banda ‘Velho Hippie’ (Foto: Eder Capobianco)

Com a trilha sonora garantida, e a Rádio Kombi mantendo o som rolando, um mundo de arte independente e espontânea acontecia ao mesmo tempo. Era galera jogando bolinha e clave para todo lado e a todo momento. Tinha mais circo! No trapézio, nos panos, nos palhaços. Qualquer duas árvores serviam para o SlackLine. Diversão garantida para todas as crianças do mundo. As grandes e as pequenas. E tinha um monte das pequenas. Muitas assistiam todos os dias pela manhã os mesmos desenhos que seus pais na tenda de Teatro / Cinema estrategicamente bem colocada ao lado do camping Terreno Baldio. Por lá também passaram cia de teatro e marionetes. Uma sonorização ao vivo de Chaplin esplendida! Também foi um espaço para oficinas. A arte estava por todo lugar. Yoga, teatro do oprimido, macramê, desenho, alimentação viva, fotográfia. Você ainda podia esbarrar com As Ninfas do Amanhecer e descobrir o quanto a felicidade é bonita. Teve Jesus e o Diabo. O E.T. De Varginha consertando seu disco voador numa oficina próxima. Piratas do nau Confraria da Costa. Gnomos. Duendes. Tudo que você quiser.

Em tempos como os atuais, onde as pessoas estão nas ruas, com os nervos a flor da pele, os festivais ganham uma importância ainda maior. Exercitar o direito de se reunir, trocar informações e viver por alguns momentos um sonho impossível é fundamental para se continuar acreditando na construção de um mundo melhor. Além disso é uma forma de mostrar para o mundo inteiro que o Brasil não é só o país da corrupção, do abuso de poder, da subserviência, do futebol e do samba. É também uma nação alternativa de artistas, músicos, professores, escritores, fotógrafos e trabalhadores que não se cansam de sonhar. E todas estas estavam lá!

Festival Psicodália 2014Rio Negrinho, SC

 

Fonte: Overmundo

Festival na Itália recebe filmes de até 30 minutos

la_guarimbaImagem: Divulgação

Estão abertas as inscrições para 2ª edição do Festival de Cinema La Guarimba, que acontece entre os dias 7 e 14 de agosto na cidade de Amantea, no sul da Itália. O evento seleciona curtas-metragens finalizados a partir de 1º de janeiro de 2012 para suas mostras competitivas em três categorias: ficção, documentário e animação.

A temática é livre e a duração permitida é de 30 minutos, com exceção para os filmes de animação stop-motion, que devem ter no máximo 20 minutos.

Os interessados devem enviar uma cópia do curta-metragem em DVD para o endereço informado no regulamento. Também é necessário enviar um CD contendo a ficha de inscrição preenchida, uma cópia do documento de identidade do diretor, a sinopse do curta-metragem, ficha técnica e três fotos do filme, foto e filmografia do diretor e o comprovante do pagamento da taxa de inscrição, no valor de 10 euros.

A curadoria vai selecionar um total de 45 curtas-metragens para exibição, sendo 20 de ficção, 15 de animação e dez documentários. Os filmes selecionados precisarão ser legendados em italiano e concorrerão a premiações em dinheiro para os melhores filmes de cada categoria: mil euros para ficção e animação, e 500 euros para documentário, além de troféus para categorias técnicas como melhor diretor, roteiro, ator, atriz e outras.

O prazo para inscrições vai até o dia 20 de maio.

Para mais informações, consulte o site do Festival de Cinema La Guarimba.

 

Fonte: Cultura e Mercado

Scorsese exibirá no festival de Berlim documentário sobre revista literária

14028266Imagem: Divulgação

Um documentário ainda sem nome de Martin Scorsese, sobre a revista “New York Review Of Books”, será exibido no Festival de Berlim, que acontece entre os dias 6 e 16 de fevereiro deste ano.

O filme —dirigido em parceria com David Tedeschi, editor com quem já trabalhou em “George Harrison: Living in the Material World”— será exibido como um “trabalho em progresso”, segundo divulgou a organização do festival nesta terça (28).

“Em seu maravilhoso documentário, Martin Scorsese e David Tedeschi revelam os trabalhos internos da publicação, assim como apresentam seu lendário diretor, desde o nascimento da revista durante uma greve do jornal ‘New York Times’, em 1963, até sua constante relevância no universo digital de hoje”, disse o diretor da Berlinale, Dieter Kosslick.

Scorsese —indicado com o filme “O Lobo de Wall Street” ao Oscar deste ano— já participou do festival alemão em outras ocasiões, como em 2010 com o filme “Ilha do Medo” e em 2008 com o documentário sobre os Rolling Stones “Shine a Light”.

Outras exibições esperadas na Berlinale deste ano são o novo longa de Wes Anderson, “The Grand Budapest Hotel”, que abrirá o evento, o filme dirigido por George Clooney “Caçadores de Obras-Primas” e a versão de cinco horas, sem cortes, de “Ninfomaníaca”, de Lars Von Trier.

Entre os brasileiros, o longa “Praia do Futuro”, de Karim Aïnouz, estará na competição pelo Urso de Ouro, enquanto as produções “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, de Daniel Ribeiro, e “O Homem das Multidões”, de Marcelo Gomes e Cao Guimarães, serão exibidas na Seção Panorama.

A programação completa do festival foi divulgada nesta terça (29), e pode ser conferida no site do evento.

 

Fonte: Folha de S. Paulo

Curta de português ganha prêmio de melhor filme no Anima Mundi

Animação “Feral”, de Daniel Sousa

O curta Feral, do português Daniel Sousa, foi escolhido pelo júri profissional do Anima Mundi como o melhor filme do festival. Com isso, a animação passa a ser indicada para a pré-seleção do Oscar de 2014. O anúncio foi feito na noite de ontem, na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro (RJ), no último dia do evento na cidade.

O filme é feito com animação clássica, em desenho, e conta a história de um garoto encontrado na floresta e sua adaptação à vida em sociedade.

Sousa, 39, diz que o Anima Mundi é um dos mais prestigiados e melhores festivais do mundo, por isso ser selecionado já havia sido uma honra. “Ganhá-lo, então, está além da minha compreensão.”

Ele diz que a chance de concorrer ao Oscar é um bônus, mas que ele não acredita que o filme vá muito além disso. “Seria muito legal ser um dos indicados, mas eu não estou contando com isso. Estou muito mais animado com o prêmio real no Anima Mundi.”

Veja o trailer do curta:

“Eu sabia que queria lidar com a ideia do que define um ser humano, em contraste com o mundo animal, ou mesmo no vácuo, então a noção de extrair uma criança da sociedade e colocá-la na natureza parecia uma solução”, diz.

Ele então pesquisou diversas histórias de crianças selvagens ao longo da história. “Adorei como fatos reais estavam geralmente entrelaçadas com lendas urbanas, contos de fadas e mitos. Eventualmente, criei minha própria história amalgamada.”

POPULARES

O público do festival foi em uma direção diferente e preferiu o curta alemão “Der Notfall”, de Stefan Müller, que mistura diferentes técnicas de animação, como modelagem 3D, recortes e desenho. A obra mostra um dia de um jovem e suas desventuras envolvendo bares, sua família, um ambulância e uma vaca apaixonada.

O filme franco-belga “Couleur de peau: Miel (Aprovado para adoção)”, de Laurent Boileau e Jung, foi escolhido como melhor longa.

O melhor curta brasileiro, de acordo com o público carioca, foi “Faroeste: Um Autêntico Western”, dirigido por Wesley Rodrigues, da Escola Goiana de Desenho Animado.

O Anima Mundi chegou em São Paulo nesta quarta-feira (14/08), com exibições no Cine Olido e no Espaço Itaú de Cinema.

Confira a lista completa dos vencedores

anima-mundi-2013-festival

COMPETIÇÃO ANIMA MULTI

Júri Popular“Separado”, de Mark Borgions – Bélgica
Júri Profissional“Shave it”, de Jorge Tereso e Fernando Maldonado – Argentina
PRÊMIO CANAL BRASIL“Ed.”, de Gabriel Garcia – Brasil

PRÊMIOS DO JÚRI POPULAR

Melhor Curta“Der Notfall”, de Stefan Muller – Alemanha
Melhor Curta Infantil: “Sempre cabe mais um (Room on the broom)”, de Max Lang e Jan Lachaue – Reino Unido
Melhor Curta Brasileiro“Faroeste: um autêntico Western”, de Wesley Rodrigues – Brasil
Melhor Curta de Estudante“Oh Sheep!”, de Gottfried Mentor – Alemanha
Melhor Longa“Couleur de peau: Miel (Aprovado para adoção)”, de Laurent Boileau e Jung – França/Bélgica
Melhor Longa Infantil“Zambézia”, de Wayne Thornley – África do Sul

PRÊMIOS DO JÚRI PROFISSIONAL

Melhor Concepção Sonora“Beep beep beep”, de Jeremy Diamond – Canadá
Melhor Direção de Arte“Requiem for romance”, de Jonathan NG – Canadá
Melhor Roteiro“A coelha e o veado”, de Péter Vácz – Hungria
Melhor Técnica de Animação“Le grand ailleurs et le petit ici”, de Michèle Lemieux – Canadá
Melhor Filme de encomenda“Dumb ways to die”, de John Mescall e Pat Baron – Austrália

MELHOR FILME ANIMA MUNDI 2013“Feral”, de Daniel Sousa – EUA/Portugal

 

 

Fonte: Folha de S. Paulo

Coachella Valley Music and Arts Festival: Delightful Days In The Desert

An international pastiche of bands descended on Indio, California for the two-weekend festival, which is attended by more than 100,000 music fans. Among the headliners: Phoenix, Red Hot Chili Peppers, Wu-Tang Clan, New Order and The Stone Roses.

Empire Polo Fields – Indio, California – April, 2013.

Take some drops of Coachella’s scenes:

2013 Coachella

The Coachella music festival, held on the Empire Polo Grounds, doubles as a giant art show featuring sculptures made of various materials.

The Empire Polo Field Prepares For The 2013 Coachella Music Festival

Teepee with a View: The festival’s stunning backdrop makes Coachella one of the most scenic musical gatherings in America.

An Alternative View Of The 2013 Coachella Valley Music And Arts Festival

A year after an EDM-heavy lineup, the 2013 edition of Coachella opted for guitar bands, including folk-rockers The Lumineers and Rodriguez, indie rock statesmen Phoenix and Tegan & Sara and British headliners Blur and The Stone Roses.

2013 Coachella Valley Music And Arts Festival ñ Day 1

Tokyo Ska Paradise Orchestra: A shot of Tokyo Ska Paradise Orchestra’s set list, taped down to the main stage for the band’s Friday performance.

2 Chainz

Among the fest’s most anticipated appearances was 2 Chainz’s Saturday afternoon set in the Mojave tent.

2013 Coachella Valley Music And Arts Festival

Sahara Tent: A packed Sahara tent grooves to a performance by Excision presents the Executioner on night 3 of the festival.

LACOSTE L!VE

British TV personality and model Alexa Chung DJs at the LACOSTE L!VE pool party.

LACOSTE L!VE 4th Annual Desert Pool Party - Day 2

Actor Elijah Wood, wearing a Lacoste shirt and Beats by Dr. Dre headphones, DJs at the LACOSTE L!VE pool party on April 14.

2013 Coachella Valley Music And Arts Festival - Day 2

Moby

Katy Perry carrying a straw Carmen Miranda bag by Lulu Guinness (complete with cherry earrings and pineapple hat).

Katy Perry carrying a straw Carmen Miranda bag by Lulu Guinness (complete with cherry earrings and pineapple hat).

 

 

Credits: The Hollywood Reporter’s team and contributors.

 

Festival de Cannes anuncia lista de filmes que disputam a Palma de Ouro

Dezenove filmes foram selecionados para disputar a Palma de Ouro no 66º Festival de Cannes, que começa em 15 de maio.

Foram revelados nesta quinta-feira (18) os 19 filmes que vão disputar a Palma de Ouro na 66ª edição do Festival de Cannes, que acontece de 15 a 26 de maio de 2013.

Entre os filmes mais aguardados, estão produções de Steven Soderbergh, Roman Polanski, os irmãos Coen, Paolo Sorrentino, Takashi Miike e Hirokazu Koreeda. O cineasta japonês Koreeda é uma forte presença, tendo em conta que já foi nomeado para duas Palmas de Ouro em edições anteriores.

Polanski, que recebeu em 2002 a Palma de Ouro por “O Pianista”, apresenta-se este ano em Cannes com o drama “La Vénus à la Fourrure”. Os irmãos Coen, que não apresentavam um filme em Cannes desde 2007, competem este ano com “Inside Llewyn Davis”.

A seção Un Certain Regard (um certo olhar) conta com nomes como James Franco, Sofia Coppola, Hany Abu-Assad e Diego Quemada-Diez.

O maior e mais conceituado festival de cinema do mundo arranca no dia 16 com a estreia do filme americano “O Grande Gatsby” de Baz Luhrmann. No mesmo dia, o filme “The Bling Ring” de Sofia Coppola, com Emma Watson no papel principal, Taïssa Farmiga, Leslie Mann e Kirsten Dunst, será projetado na abertura da secção Un Certain Regard. Para o encerramento do certame o filme escolhido foi o thriller francês “Zulu”, de Jérôme Salle, totalmente filmado na África do Sul.

O júri da Seleção Oficial do festival será presidido por Steven Spielberg e diretor dinamarquês Thomas Vinterberg será, este ano, o presidente do Júri da mostra Un Certain Regard. A realizadora Jane Campion vai presidir o júri de curtas-metragens e da Cinéfondation.

Cartaz oficial de 2013 do Festival de Cannes, que mostra o beijo entre Paul Newman e Joanne Woodward, em "Amor Daquele Jeito" (Imagem: Efe)

Cartaz oficial de 2013 do Festival de Cannes, que mostra o beijo entre Paul Newman e Joanne Woodward, em “Amor Daquele Jeito” (Imagem: Efe)

Filmes na mostra competitiva:

“Un Château en Italie”, de Valeria Bruni-Tedeschi
“Inside Llewyn Davis”, de Joel e Ethan Coen
“Michael Kohlhaas”, de Arnaud Despallières
“Jimmy P. (Psychotherapy of a Plains Indian)”, de Arnaud Desplechin
“Heli”, de Amat Escalante
“Le Passé”, de Asghar Farhadi
“The Immigrant”, de James Gray
“Grisgris”, de Mahamat-Saleh Haroun
“Tian Zhu Ding” (‘A touch of Sin’), de Jia Zhangke
“Soshite Chichi Ni Naru” (‘Like Father, Like Son’), de Kore-Eda Hirokazu
“La Vie d’Adèle”, de Abdellatif Kechiche
“Wara No Tate” (‘Shield of Straw’), de Takashi Miike
“Jeune et Jolie”, de François Ozon
“Nebraska”, de Alexander Payne
“La Vénus à la Fourrure”, de Roman Polanski
“Behind the Candelabra”, Steven Soderbergh
“La Grande Bellezza”, de Paolo Sorrentino
“Borgman”, de Alex Van Warmerdam
“Only God Forgives”, de Nicolas Winding Refn

Filme de Abertura (fora de competição):

“O Grande Gatsby”, de Baz Luhrmann

Filme de Encerramento (fora de competição):

“Zulu”, de Jérome Salle

 

Fonte: Folha de S. Paulo